Pela primeira vez, paciente recebe órgão transportado por drone

Objetivo é reduzir tempo de transporte para minimizar descartes por problemas logísticos.

Médicos e pesquisadores da Universidade de Maryland, em Baltimore, acabam de realizar um feito que pode ajudar a reduzir as filas de transplante em todo o mundo. Em demonstração inédita, eles usaram um drone especialmente modificado para transportar um rim, que foi implantado numa paciente com falência renal. O voo foi curto, de apenas cinco quilômetros, mas ilustra o potencial desses equipamentos como método mais rápido, seguro e, principalmente, com maior disponibilidade para o transporte de órgãos.