Influência do mercado brasileiro de soja na China vai a 75%

A participação do mercado brasileiro da soja no principal comprados asiático, a China, aumentou até totalizar um percentual de 75%, segundo informações que foram divulgadas por um relatório da Agri-Pulse e publicado no portal especializado agropages.com. De acordo com os dados, o ritmo das compras chinesas da oleaginosa dos Estados Unidos aumentou nos últimos meses.

“As exportações de soja dos EUA para a China têm sido extraordinariamente fortes nos últimos meses, mas ainda estão longe do ritmo que estavam antes da guerra comercial e o Brasil parece estar cimentando seu domínio”, indicou a consultoria, no relatório divulgado no início desta semana.

Além disso, os dados informam que, antes da guerra comercial, o Brasil detinha apenas cerca de 30% da demanda de soja da China de outubro a maio, no entanto, em 2016/2017, cerca de metade da participação de mercado comandada pelos embarques dos EUA. Depois que as tarifas de retaliação atingiram a soja dos EUA há um ano, o Brasil rapidamente absorveu 45% das necessidades de importação da China, indica a Agri-Pulse.

“E agora, o Brasil está preenchendo cerca de 75% da demanda de soja da China, em comparação com 10% para os Estados Unidos, de acordo com novos dados do Serviço Agrícola Estrangeiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). As exportações dos Estados Unidos para a China estão em um ritmo recorde nos últimos meses, mas os norte-americanos têm muito o que fazer, e a demanda chinesa agora deve diminuir com a febre suína africana varrendo todo o país”, conclui.

Fonte: Portal do Agronegócio